Que o digam Rui Neves no episódio dos Pequenos Jornalistas, ou das pistolas ou os Pais da EB1 do Juncal que viram seus filhos terem um corte num vínculo tão sensível como são os professores nesta 1ª fase de aprendizagem, perante a demissão em bloco de todo o corpo docente daquela escola. Foi a forma que encontraram de dizerem: Obrigado André.

 

Tal como no extinto jornal da sexta de Manuela Moura Guedes, a questão por vezes em vez de se ficar pelo conteúdo  da notícia tão pertinente e premente, é transportada para a forma e método utilizados, pelos próprios espectadores e leitores de blogues TVI o que é pena pois infelizmente e não raras vezes acabam (quem pôs a boca no trombone) por perderem a credibilidade e razão. Por isso a muito que deixei de dar para esse peditório, e breve despeço o Diácono, que insiste em ir lá fazer PUB :-) . Ele argumenta que as grandes marcas nem por isso deixam de anunciar na TVI... argumento forte e pessado para aqui rebater. Que aquilo tem audiências, tem. O correio da manhã também.

E nem por isso deixam de ser considerados por muito bom público - sim, que isto cada qual trabalha para, e tem, o seu público alvo - dos melhores orgãos de informação nacional... o mesmo digo do VF. E quem conhece o Mister sabe como ele reaje quando a coisa tresanda a  "virgens ofendidas".

 

O Amigo Pedro Oliveira teve um final de dia triste no passado 4 de Junho, como tão bem aqui explicou. Conforme lhe disse, lamentei estragar-lhe o dia, mas tinha mesmo de ser... São nestas pequenas atitudes, onde se questiona, "mas qual é o mal da ADP ter (pela 2ª vez em quinze dias) mensagens assinadas pela própria direcção na primeira página do Vila Forte, que sim, é um blogue assumidamente politico?". São nestes pequenos sinais encapotados que se colocam grandes dúvidas, ainda para mais se os questionados respondem em post´s passam para o papel de puritanos. Se este post fosse do Diácono do Espaço, ele chamar-te-ia à atenção para a parabola do Jorge verdadeiro Jesus, o cristo, cuja moral da história culmina em : "Quem é infiel no mínimo, é infiel no máximo". Mas o post, ao contrariodo que o Pedro e vários outros pensam, não é do Diácono, é do Mr.

 

Bom, o Pedro ficou na dele, e eu na minha, mas o que é certo, é que os estatutos da ADP são soberanos e têm alguma coisa a dizer sobre o assunto, e é essa infedelidade mínima que começa a gerar um silencio gritante que já gera discussão entre os sócios, pois há uma facção deles que questiona a envolvência da ADP na política local. Mas a isso voltaremos na parte 2/2 do tema em epígrafe.

 

No post de hoje, aproveito mesmo é para responder publicamente ao Pedro, porque há assuntos que mais cedo ou mais tarde merecem resposta, e uma vez que pessoalmente foi feito no próprio dia, está "resposta pública" é para te lembrar, meu caro amigo, que está na altura e época prometida (Outono) para pagares o tal jantar. Na  Tí Maria dos Queijinhos, SFF.

 

PS: Platypus, depois de teres conseguido o feito seres o único (1) a ver um comentário não publicado/eliminado no gERAÇÃO rASCA fazendo com que em vez de 917 fossem apenas 916 os bitaites dos visitantes naqueles dois anos, evitas me dar o prazer de teclar delete já tão cedo no cosméticas, iniciando da forma que nós sabemos a defesa da Dama. Afinal quem é seguidista? Assume-te, pá! Porque isso ou é tudo medo, ou tu lá sabes...

 

::::::::::::::::::::::::::::::

 

 

----- Original Message ----- From: "MrCosmos" <mrcosmos@sapo.pt>
To: <-------------@sapo.pt>
Sent: Thursday, June 04, 2009 5:46 PM
Subject: Re: a cultura do medo (ou da carapuça?)

 

_______

Ok Pedro,
Se quiseres, diga-mos que te dou "a mão à palmatória sem dar o braço a torcer". Compreendo a tua reacção a situação, parece-me é que não me compreendes-te, ou não me queres compreender, tu a mim. Tudo bem.
Vejo perfeitamente a moral da história, e do teu post, apesar de não encaixar  as "indirectas", ou directas enviadas.

Sei perfeitamente que o vila forte tem os seus "detractores", imagino inclusive as pressões que isso te/vos coloca, mas adiantará pouco procurarares-me a mim entre esses tais detractores. Não estou lá. Portanto, a carapuça nem me serve.

-Se o Vila Forte é um bom blogue? É! Provavelmente dos melhores a nivel nacional, enquanto blogue regional.
-Se faz falta a Porto de Mós? Faz! Tanto faz, que conta já por varias vezes com o meu contributo em passos que deu e considero importantes.
-Se é livre? Tem dias, a liberdade é sempre relativa.
-Se gosto dele? Gosto, de resto, naquela mesa de esplanada virtual vai-se bebendo bom café, mesmo que o fundo da xicará traga alguma borra.

Sobre a cultura de medo, deixa que te diga que se fosse uma cultura que me afecta-se, então tinha estado quietinho e assim não te tinha estragado o serão de ontem, ou o do Luís, pessoas por quem nutro alguma amizade, e não incomodava ninguém, pois sabia que, tão certo como o sol voltaria a nascer no dia seguinte, que a questão por mim bem ou mal levantada, iria dar post, até porque de resto cada um serve-se dos meios e influências que tem. Todos sabemos faze-lo, duma maneira ou outra todos o fazem, e tu faze-lo bem.
Só que, e desculpa lá o mau jeito, tinha de colocar a questão que coloquei, a ti e ao Luis, para acabar a assistir a este filme que sabia que assistiria, esta "curta" metragem. Eu e os filmes...
Sem falsos cinismos, é uma questão de atitude e consciencia.

Portanto, nem cultura de medo, nem o da carapuça, nem um "yesman", ou um "alinhado". Não esperes isso do Paulo César.
Podes sempre esperar um amigo, mas as amizades constroem-se, e dão muito trabalho a manter.

Um abraço, amigo.
Paulo César.

PS(d) : E continuo a fazer conta com aquela tal patuscada na Ti Maria dos Queijinhos, por sinal um local muito bem remodelado e sem teias de aranha, como antigamente. ;-)

 

por Paulo Jerónimo | link do post
Porque preservo as conversas em privado, no meu texto relativo à tua opinião sobre o vila forte, não disse quem era o meu amigo, a situação e o programa da 2 foi o mote para escrever sobre conceitos blogosféricos e sobre o que devem ou não divulgar/escrever.
Lá saberás porque após este tempo passado me respondes em público e inclusive colocas mail que me enviaste com o meu enderço de mail pessoal(enviei-te SMS a mostrar o meu desagrado por esse facto), sem a minha autorização.
Dizes que já deste para o meu peditório e que entro no rol das virgens arrependidas, lamento que assim penses, como lamento mais este teu post,Se era esta a tua vontade podias ter comentado no Vila Forte na altura devida, ou seja aquando do post.
Promessas são dividas e estou em divida contigo em relação à Ti Gracinda.
No post abaixo fazes comparação entre visitas deste teu espaço e o vila forte, acho que fazes bem.

Abraço e muito sucesso para este teu novo projecto.

p.s. quanto ao diácono fazer publicidade no VF, a nós nos incomoda nada, bem como ele ser anónimo e ser editor deste espaço. Todos podemos mudar de opinião sobre tudo.
Pedro Oliveira a 8 de Outubro de 2009 às 11:12
Pedro,
Com o à vontade que trazes episódios pessoais, para discussão pública, e os constrangimentos inclusive que isso já tem provocado a vários dos teus amigos, compreendo que não gostes de ver este assunto deste modo ressuscitado, mas também ele serve de mote para a parte (2/2) do assunto. E depois, nestas questões sou directo e frontal. Por isso não te respondi por sms, telefonei. Talvez devesse ter substituído o Pedro por Carlos.

Quanto ao teu mail pessoal, tens razão. Foi uma falha minha, não via as coisas por esse prisma, pensei que esse mail fosse praticamente publico.
Já vai tarde, seja como for achei por bem retirar a menção do mesmo.

Ps: quando provamos do próprio veneno, é complicado. Faz o que eu digo, mas não faças o que eu faço.
Por aqui, assunto arrumado.
Reposta errada meu caro.
Falo sobre assuntos MEUS,dos MEUS sentimentos, das MINHAS vivências, das MINHAS opiniões e nunca de conversas tidas com outras pessoas a não ser que elas não se incomodem com isso(perguntar se não se importam).A prova está que no texto não mencionei o teu nome, nem o do Luís nem o da ADP, muito menos escarrapachar maills pessoais com conversas pessoais, a não ser que tenha autorização para tal.
Já recebi maills com teor para colocar no blog(o da TVI...), a pedido de várias pessoas e não o fiz. Registo que não colocaste a palavra veneno entre aspas, considerando que o que escrevo é envenenado, está registado.
Com a frontalidade que gostas ,também te digo que não gosto de ver publicidade a este blog no blog da ADP, partindo da tua premissa blog politico versus ADP. A não ser que me digas que os conteúdos deste blog não têm sido de indole politica.
Mas está tudo bem meu caro, estamos na vida para aprender uns com os outros.Acredita que tenho aprendido algumas coisas contigo.
abraço
Pedro Oliveira a 8 de Outubro de 2009 às 14:05
Lá esta Pedro.

Uma coisa é eu publicar um texto, e-mail ou conversa que me tenham enviado, confidenciado, ou o que seja, de outrem, que não de minha autoria. Aí quanto mais não seja por uma questão de conduta, mas também por princípios meus, carece de consentimento do autor da informação. É dos manuais.

Outra coisa é um texto meu, pensado, escrito e que me diz respeito, ser publicado por mim. Diz respeito a mais alguém? Sim. Mas quem quebrou o "off the record" e "confiança" ao pulicar o primeiro post sobre o assunto? Então e se publica-se o e-mail, ou melhor, se não existi-se e-mail e tivesse redigido as mesma palavras na caixa de comentários do teu post, já não havia problema?! Eu sei que não, mas como digo não quis dar para o peditório.

Não mencionas os nomes das pessoas nos teus "post´s tipo Carlos", o que é pior.
É o que gera tchi-tchi-tchis, e muuuitos comentários. qual é o objectivo, debater os assuntos devidamente, ou ter muitos comentários. Eisssh! Todos que andamos nisto a dois dias, e com pelo menos meio dedo de testa, sabemos como se arranjam comentários de borla. "Se queres ser bastante comentado, não tenhas um blogue/post sério e fundamentado, senão os leitores vão comentar o que? Aí que inteligente que este rapaz me saiu e tal..."

Preferia que tivesses publcado no post que o Paulo César te estragou aquele serão com as letras e os nomes todos. Aí sim, que remédio teria, e preferia assim, senão ir defender o meu nome publicamente no dia, via VF ou gR, e quem quisesse, ouvidas as duas partes, tirava as suas ilações, provavelmente com menos comentários especulativos, e então mais comentários que ajudassem de facto a reflectir no bom post que publicaste: "O Vila Forte é Livre". Repito, preferia que tivesses escarrapachado lá o meu nome: PC dixit, do que assim, so que para te responder não iria entrar no "jogo" omitindo nomes e factos para ninguém comprometer.

Pergunto: Não tendo tu mencionado no post a quem te referias, como é que o platypus, 2 horas depois, e ao fim de dois anos, quando o gR dava indícios de sHUTDOW, se lembrou de começar a "discutir" assuntos do FCP? E venerações ao PdC? Tinha alí um "troll" em potencia, e porra, perguntei-me, queres lá ver que o Mr já tem estatuto blogosferico que justifiquem ter trolls à perna. Não, não quero.

Não há modos infalíveis, la está. Eu pelo menos não os tenho, mas o modo operandis VF, e desculpa os termos ou falta de aspas volta e meia, mas para não perder o raciocinio, "o modo operandis VF" , não é preciso refletir muito para tirar conclusões:

-Coloca-se a nossa versão dos factos, mas há que omitir factos e nomes pois estão varias coisas, pessoas, envolvidas, a os visados ou entram no mesmo jogo, ou ignoram e não respondem e deixam que a suspeita do seu nome ande no ar, ou contribuem com comentários aumentando assim a especulação. O Caso desculpa André é um exemplo tipo do tal falhanço do errado modo operandis. Nutro Respeito e a amizade própria que a nossa pouca vivência me ainda permitiu, pelo Paulo e pelo Luís. Nunca, comentei o caso Desculpa André na blogosfera. Comentei-o sim entre pessoas, amigos íntimos e juncalenses.Porque também me interessava, motivos que estes dois amigos juncalenses provável e facilmente podem descortinar. Toda a gente por estes meios conhece a versão blogosférica/virtual do assunto. Ninguém conhece a versão humana de carne e osso da mesma e do outro lado, o corpo docente. Aliás alguns poucos, eu conheço. Imagina que este era o modo operandis dos tribunais operarem?

Pedro, não sei porque, estou com a impressão que a discussão nesta caixa de comentários começa a roçar o ridículo, e falo exclusivamente pela minha parte.
Trata-se de uma conversa a dois, terá interesse? não existirão outros meios para a ter? Certamente que sim. Olha, na Ti Maria.

Concordo contigo, quem anda na blogosfera por gosto, aprende todos os dias com ela. Curioso como no caso destes dois amigos, PC/PO, que se conheceram por causa de um post contestátário também, o comment n.º 40, como conseguem discordar em tanta coisa, discutir coisas que lhes são tão sensiveis, e que ainda não tenham virado as costas. São exemplos vivências destas que levo do monitor para casa. As que valem a pena. E está vivência PC/PO, tem sem dúvida valido a pena.

Akele abr.
Paulo,
Não vás por aí:
Primeiro, sei quem é o platypus, não sou eu nem nenhum dos editores, acreditas se quiseres, é alguém que tu conheces? Provavelmente sim.
Tal como eu estou pouco preocupado quem é o "diácono", ou o "porto maravilha", mas isso NUNCA me preocupou ao contrário de outros,
pouco me importa se este espaço te tenha "aguçado" o lado mais politico que repudiavas antigamente , o que acho estranho, tenho esse direito, é que passados estes meses todos tragas o assunto à baila e da forma como o fizeste, também estranho ver no blog da ADP 4 vezes link a este espaço, seguramente a segunda parte deste texto vai ter essa coerência de explicares o porquê.
Também já disse ao Luís, hoje,mas isso é questão vossa, que estranho ver a Cosmolab a promover a venda de cd´s das marchas no blog da ADP.
E como pelos vistos não quiseste perceber eu explico, eu não mencionei o teu nome,o do Luís Costa e da ADP porque o que quis foi discutirmos o que se deve ou não divulgar tendo como base o facto de o Vila Forte ser considerado um blog "laranja" e um blog TVi, e como sempre disse o que conta são as ideias e não as pessoas, qual era a mais valia para a discussão dizer que foi o Paulo César e que ouve uma posterior conversa entre mim, Ti e o Luís, não em simultâneo, e que o assunto tinha ficado entre nós?Era os comentários centrarem-se em ti?.
Depois se tinhas tanta vontade de dizer que eras tu, podias tê-lo feito na hora: "essa conversa foi comigo e em relação a este assunto a minha opinião é esta".
É recorrente dizeres que todos sabemos na blogosfera como ter comentários e temas polémicos, e qual é o problema?
Também não o fazes?Este post é o quê?Se é normal qual é a "espiga"?
Paulo, cada um gere o espaço como quer, e jamais irei fazer post´s e comentários sobre a tua linha editorial, sobre o facto de já no tempo do "cilicio" comentares como anónimo,como ficámos a saber ontem, lá saberás o porquê, ou teres uma pessoa como "diácono" com gosto discutivel, não.Não tenho esse direito.
Agora, respeita a minha opinião sobre o que aconteceu hoje.Acho que foste longe demais.Colocares aqui um mail que me enviaste com o meu e ndereço mail pessoal(não está nos livros?), e insinuares que poderei ser o platypus meu caro não te admito.E não é ter mau feitio, é porque há coisas que se esclarecem por outra via,desde que depois não se guardem na manga para fazer colocar num texto num blog.
Mais, dizes que amigos meus já ficaram melindrados com textos meus, custa-me a acreditar, não digo que seja mentira, pois se não mo disseram não são amigos são conhecidos, e desses tenho muitos, dos outros sou eu que os escolho.
Por último, porque raio para terem visitas e comentários têm que se meter com o vilaforte?
Deixem-nos ser o que queremos ser.Incomoda assim tanto?
abr
Há aqui um grande mal entendido,
Nunca te associei por nem insinuei que eras o Platypus. Sempre me pareceu que o mesmo sera alguem que tem contigo alguma ou muita afinidade. Mas é como dizes, o que interessa quem são os anónimos ou pseudónimos? eles fazem falta.

Meti o pé na poça ao descuidar-me e deixar sair o teu endereço de e-mail, ,as voltando aos anónimos, nunca publiquei nem coaji comentários no meu blogue comentendo a ilegalidade (essa sim) de publicar o endereço de IP e geolocation de quem me era inoportuno.

A questão com o VF apenas e só tem que ver, e ainda bem, com o considerar que aquele é um espaço portomosense. Se poder contribuir com ele, melhor. Mas só o posso fazer em modo pró? Pode-se questionar O Executivo da câmara, A Direcção da Banda, A CINCUP, A ADP, Mil e uma coisas, e estranha-se quem questione abertamente o Vila Forte? E sim estou com isto a dar-vos algum estatuto, que merecem. Visibilidade? Pá, o diacono só tem autorização para fazer aquele género de pub até dia 11. ou melhor, até amanhã, se a lei eleitoral se aplicar a web...

Pedro, este frente a frente não faz de facto sentido, mas nem por isso estou a fugir dele. Já te pedi desculpa em privado pelo endereço de e-mail visivel, eu nunca tive problemas em pedir desculpas quando vejo que errei. Nunca te descuidas-te ao reencaminhar um email de corrente, deixando visivel toda a tua email list? Talvez nem seja a mesma coisa, mas sabesse-la quanto spam eu não recebo a conta de algum eventual desduido desses teu?

Olha, Eu vou encerrar o assunto nesta caixa por aqui. As desculpas não se pedem, evitam-se. Ou as desculpas até se pedem, depois aceitam-se ou não.
Over & Out
.
Só mesmo para acabar,
O Vila Forte pode e deve ser criticado e alvo de post's,mas nem de propósito ainda agora estava ao telefone com alguém que me disse isto:
"Se reparares o Joga para ter comentários e visitas teve de se meter convosco, com a história da comunicação e que eram isto e aquilo, o cosmos para potenciar visitas e comentários em inicio de vida do novo blog em dois dias seguidos fala de vocês, pergunta-lhe se isto também está nos livros da blogosfera portomosense".
Satisfeito o pedido por telefone desse meu amigo daí, este sim meu amigo, daqueles que eu escolho.
abraço e um dia destes ver se pago a divida.
Pedro Oliveira a 8 de Outubro de 2009 às 17:46
Pedro eu tinha-te avisado, que quem defendia o Rui Neves da maneira que este ser do espaço fazia, não podia ser de confiança, dizias-me que não porque era um gajo que já tinha corrido mundo e não iria entrar em mesquinhices típicas de um provinciano bacoco, argumentei que tinhas de ter cuidado com alguém que apoia incondicionalmente um individuo que tanto mal fez às instituições de Porto de Mós e defende um corrupto condenado (Pinto da Costa) e que a necessidade (negócio) se iria sobrepor a qualquer tipo de amizade se achasse que essa ligação lhe iria trazer problemas, não quiseste crer, agora tens que levar com ele.
Percebes agora do meu anonimato, isto é tudo gente perigosa de mais.
Platypus a 8 de Outubro de 2009 às 16:12
Platypus, Perigoso?

Olha, podes ficar, se quiseres à vontade. Pelo menos registo um comentário capaz teu, e logo ao inicio de um blogue meu.

Só não sei onde encaixe nessa tua linha de raciocínio, o facto de sendo acusado de até ganhar todos os serviços do meu ramo promovidos pela CM, como é que este doido toma posição e a feijões, numa batalha "sanguinária" como as Autárquicas.
Mas o que andará o rapaz a tomar?

Ensinaram-me a ser livre, a pensar livre, e agir livre. Lido mal, muito mal com acorrentamentos e mordaçãs. Nunca as senti nem do actual executivo nem de ninguém nesta vila e concelho, até porque quem é esse Paulo César? Quando me sentir acorrentado no que quer que seja, mudo. Mas depois de correr meio mundo, sinto-me taõ bem na minha terra, à 17 anos...

Não sei como encaixe nesse teu/seu raciocínio o facto de já ter dedicado duas mençãos nos meus post ao Pr. Rui Neves, sabendo nós como sabe-mos como ele reage e lida com estes mimos.

Nem sei onde me encaixe nesse seu raciocínio a partor do dia 11, quando provavelmente tere-mos que gramar com eles mais 4 anos. Ditei a minha falência certa, dirão alguns. :-D

Gosto de discutir a minha terra, sobretudo com gente que gosta de fazer o mesmo livremente e sem rodeios. Posso?

Desculpe lá conota-lo com um "PS"
"Quando me sentir acorrentado no que quer que seja, mudo."

Ainda este assunto, quando me sentir acorrentado no que quer que seja, ou combato, ou rendo-me e mudo. era o que queria mas não soube dizer.
Acabo de ler algo surreal que só poderá ter uma explicação: eleições e pressões. Há quem ataque a primeira e se renda na segunda. O Vila Forte combate com a cara destapada, protege a privacidade de quem nos visita, e evita, ( nem sempre com sucesso) as questiúnculas pessoais. Como editora do Vilaforte e companheira de mesa do Pedro Oliveira nos últimos 3 anos sinto com ele a ingratidão de imaginarmos que no Mundo ou só há santos, gajos porreiros ou a caminho disso. Concordo contudo num único ponto: ponto final nesta história e que acabemos à mesa "real" da ti Maria ou da ti Gracinda. A ferida já está bem grande...Às vezes a "mesa" cura.
Ana Narciso a 8 de Outubro de 2009 às 18:45
cumptos Ana
.
O PortoMaravilha nada tem a ver com assuntos que não conhece.

O PortoMaravilha vive bem longe do rectângulo.

O PortoMaravilha é independente .

O PortoMaravilha só tem um Papa : As tripas à moda do Porto e as tripas à moda de Caen.

O PortoMaravilha nunca votaria psd ou cds se tivesse a cidadania Portuguesa.

Mas o PortoMaravilha gostou muito do blog VilaForte porque lhe pareceu que foi um caso único na blog-esfera (quanto ao que ele conhece ) . Ter uma reflexão internacional sendo um blog regionalista.

O PortoMaravilha é humano e está cheio de contradições . Mas talvez a cultura e a memória sejam a única possibilidade de sermos livres ( Sócrates ).

O PortoMaravilha aceitou colaborar neste blog porque pensou que se ia pensar o Cosmos e a arte ( o que nos diferencia dos nazis, fascistas e outros primatas que falharam um degrau na evolução ).

O PortoMaravilha não terá qualquer dificuldade em dar o seu nome . Quem conheceu a PIDE está à vontade.

O PortoMaravilha está triste e não sabe o que fazer. Continuar a comentar na blog esfera pt ou deixar de comentar ?

Continuarei no bibo-porto ! Mas não é igual . A memória não se transmite por um clube.

Eu sei que vocês aí têm três jornais desportivos. Os meus filhos não gostam de futebol. Tanto melhor !

Na espera da vossa resposta :

E Viva o Porto ! O Porto dos tripeiros nas barricadas que gritavam viva a república e o descanso nove dias na semana







PortoMaravilha a 8 de Outubro de 2009 às 20:42
E O Paulo César têm um enorme orgulho e honra que tenhas aceitado e possas continuar sempre motivado a participar neste e/ou outros projectos em pt ou não.

Tu sabes disso meu caro amigo.
Abraço

foto perfil.jpg

pauloc.jeronimo@gmail.com

pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

Controle de invasão ET
comentários recentes
Merci pour le partagehttp://boomlasers.alzawaia.co...
Hand ball is actually a nice game to watch. I firs...
Children are not good with lies. They doesnt know ...
Woww!!! I am glad you have shared this old picture...
Alors, dit-il,Au Revoir ! , dit-elle. Alexandre O'...
Jovem, apesoado, dotado, submisso, procura homem d...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
nice work, I can see your point, I can't agree wit...
.