Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COSMéTICAS.net

o «ESPAÇO» onde nem tudo o que parece é... música para os ouvidos !?

COSMéTICAS.net

o «ESPAÇO» onde nem tudo o que parece é... música para os ouvidos !?

Facebook: ............................................................. ......Hello, I Love You: Won't you tell me your name?

19.05.10 | PortoMaravilha

 

 

 

 

Eu nunca serei convidado : Faço parte dos 20 % de Franceses que não estão no Facebook.

Um fenómeno recente que está totalmente a ultrapassar as autoridades Francesas.

Desde o início do ano , aperitivos gigantes e espontaneos tem sido organizados via a rede do Fecebook.

A morte dum homem de 21 anos em Nantes , devido ao excesso de álccol , começa a preocupar as autoridades.

É que os aperitivos se transformam em grandes borracheiras.

Se a ambiência é calma e convivial , não deixa de ser verdade que o excesso de álcool é um problema de saúde pública.

Actualmente, o recorde a bater é ultrapassar o número de 19 000 pessoas reunidas. Está previsto para Paris, no dia 23 de Maio.

Certamente, um desafio às autoridades.

 

Indo além do sensacionalismo ou do anedótico , não deixa de ser interessante o seguinte :

Acusou-se a internet de isolar as pessoas . Ora, este fenómeno parece provar o contrário.

Reuniões gigantescas são organizadas nos centros das cidades.

Reuniões que são reais e não virtuais.

 

Foto : Aperitivo de Rennes em 25 de Março ( Libération , 14 / V / 2010 )

Música: The Doors - Hello, I Love You

Nuno

A Lógica da Inquisição Portuguesa ........................ La Logique de l'Inquisition Portugaise ....................

17.05.10 | PortoMaravilha

 

.

 

A língua Portuguesa não possui , a meu conhecimento , uma só e única palavra para designar aqueles que acendiam as lareiras gigantes que queimavam vivos as e os acusados pela Inquisição.

Porquê ?

Tanto mais estranho que esta existe em outras línguas.

A Inquisição Portuguesa abriu um novo cíclo na história da humanidade.

Ela inventou os " cárceres de vigia " onde os prisioneiros eram vigiados dia e noite sem o saberem.

O prisioneiro deixa de ter alma. Não tem direito ao recolhimento.

Tudo devia concorrer para a uniformização da sociedade.

A Inquisição Portuguesa é ou foi a modernidade dos Totalitarismos.

Este post deve ser lido como a continuação de " Maus : Uma obra prima de Bd ".

 

Algumas Fontes : Michel Foulcault "Surveiller et Punir " e , sobretudo,  Nathan Wachtel "La Logique des Bûchers "

Imagem : Primeira página de Maus

Nuno

Les archives des Tribunaux de l'Inquisition fournissent une abondante documentation.

 

En bref, la modernité à laquelle contribue l'Inquisition Portugaise n'est autre que celle des systèmes totalitaires qui ont vu leur essor au cours du vingtième siècle .

 

Surveiller pendant 24 heures le prisonnier grâce à " l'oeil de Judas " .

 

Une invention de l'Inquisition Portugaise qui annonce la modernité des totalitarismes : Le prisonnier n'a plus droit à son jardin secret.

 

Sources : Michel Foulcault " Surveiller et Punir " et aussi Nathan Wachtel " La Logique des Bûchers ".

 

Image : La première page de Maus

Ce texte doit être lu comme la suite de " Maus : Un Chef d'Oeuvre de la Bd "

 

Nuno

 

Michael Jackson e o sapato .................................. Michael Jackson et la chaussure ...........................

15.05.10 | PortoMaravilha

 

 

 

O sapato !

Vocábulo Árabe que a língua Portuguesa integrou .

O sapato era um dos objectos queridos de um dos reis da pop : Michael Jackson.

O sapato simbolicamente não é mais que um receptáculo .

Receptáculo que acolhe o bom pé ( ou o bom Falo ? ) .

Quem não viu a " Gata Borralheira " ?

 

E como bem se canta :

" Eu fui de Lisboa a Sintra , mas a pobre criatura esqueceu-se das minhas precisões ... ponha aqui o seu pézinho ...". (link)

 

Foto : Next , 8 / V / 2010

Nuno

Nada se cria, tudo se copia, pouco se inventa...

14.05.10 | Paulo Jerónimo

 

...há uma máxima qualquer na industria de TV e Audiovisuais mais ou menos assim, como o tema acima. E há de facto pouco para inventar. Fosse cliché numa cena de filme , seja baseado no enredo dum livro, um formato de programa ou concurso adaptado para tantos idiomas, culturas, países... é nisso que reside a arte dos audiovisuais: no "pouco se inventa", nada se cria, "tudo se copia".

 

Parece tal admissão pouco abonatória? Diria que nem por isso. Nesta "máxima" há simbologia, temos metáfora.

Tomemos por exemplo o expoente máximo audiovisual, o Cinema. A Sétima Arte passa a ser reconhecida enquanto tal, muito pela grande disponibilidade aliada a habilidade do saber olhar, interpretar, e então, naquele formato, o da 7ª, saber imprimir as outras e demais Artes: Literatura, Música, Teatro, Fotografia, Dança (ritmo), Escultura/Plástica (nas formas, objectos, luz, profundidade, no 2 ou 3D) etc... todas estas e outras artes, são os ingredientes e nelas reside o grosso da criatividade. A indústria do cinema, basicamente é uma mega-cozinha. Cabe-lhe o papel de pegar nos ingredientes, seguir "a receita",  e enquanto tal, há muitos cozinheiros a fazem-no com o grande mérito de Arte. Hallelujah!

 

Voltemos à TV. Diga-se que a função da tela, ou ecrã, se quiserem, basicamente é mostrar. Dai dispensar-se tantas vezes de criar ou inventar, basicamente, habituaram-se a copiar, a seguirem as "receitas d'avó" de comprovado sucesso popular, e que de antemão sabe-se: resultam. A dificuldade reside no não desvirtuar, dar na quantidade certa para não enjoar.

Conhecem *este videoclip* (link) ? Então agora comparem-no lá com esta versão portuguesa, made in Sic Radical, e depois digam lá se a "máxima em epígrafe" tem ou não toda a razão de ser, e se não é disso que o publico alvo quer ver... Faz-te a vida, se já confirmaste o link atrás, agora pica o play.

 

 

PC Jerónimo da Silva

A Transmissão Simbólica : Folheto nº 15 ................ La Transmission Symbolique : Feuillet nº 15 ...........

13.05.10 | PortoMaravilha

 

 

 

Os Munduruku apelidam esta árvore gigante com vários séculos : " Mãe da Terra Preta " .

A Amazónia é um templo da biodiversidade .

E hoje tornou-se o teatro de conflitos económicos .

Lugar onde o " capitalismo selvagem " mostra a sua barbaridade.

Este post pode ser lido como a continuação de " A Barragem Belo Monte , Cameron , Le Clézio e Lula ".

 

Foto : Télérama hors série , Março 2005

Nuno

O Zé dos Plásticos e o homem vestido de branco

12.05.10 | Paulo Jerónimo

 

É uma das anedotas mais antigas de que tenho memória, que inúmeras vezes me era pedida pelos amigos para ser contada, e já me havia esquecido dela, até o dia em que um novo Papa aterrou em Lisboa...

Portanto, recupero-a com todo o gosto, passados vários anos, como sempre, contando-a a minha maneira (quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto) mas, e por que não (?) enquadrando-a na actualidade.

 

"Certo emigrante regressa a Portugal numas curtas mini-férias, pois estava peremptoriamente decidido a não perder a visita de Sua Santidade o Papa Bento XVI, à sua terra Natal.

Chegado com alguns dias de antecedência, e instalado na casa de família, numa pacata aldeia nas redondezas da capital, dá de caras com um velho conhecido, parceiro de carteira na escola, nos tempos idos de ditadura.

-Olha! o Zé dos Plásticos!! Tás bom pá?

-Olha, olha! Quem é ele! Estas por cá? Eu estou bem, obrigado. Alias do melhor! Sou actualmente um dos empresários portugueses mais reconhecido em qualquer parte do mundo, até trato por "tu" ao Obama. Responde o Zé dos Plásticos ao emigrante.

-Ah! Lá estas tu... Sempre foste um grande exagerado... estou a ver que não mudas-te nada.

-Aiii, queres lá ver? - Resmunga o Zé dos Plásticos acossado - Isto não pode ficar assim. Quanto é que vale a aposta, em como sou mais conhecido que o Presidente da Câmara?

-Bah! 25,00 €, não me acredito... atira o emigrante.

 

Zé dos Plásticos convida o antigo colega de escola a entrar no seu Mercedes e rumam aos Paços do Concelho. Uma vez lá chegados pergunta o "pseudo" empresário de sucesso a um transeunte: Senhor, por favor, sabe dizer-nos o nome do actual Presidente da Câmara? É que queria-mos ir lá tratar de uns papeis, e seria uma vergonha não saber-mos o nome de tão ilustre personalidade...

Ilustre personalidade?! Replica o transeunte - ilustre personalidade é o Senhor José dos Plásticos! Você é que devia ter concorrido nas últimas eleições que toda a gente o reconhecia, e votava em sí. Agora esse borra-botas? Também não sei o nome, mas não se acanhem, basta tratá-lo por "Sr. Presidente", só, mais nada, que ele "derrete-se" logo todo.

E pronto, lá teve o emigrante de desembolsar os 25,00€ da aposta, argumentando que "aquela" até que era fácil de ganhar pelo visto, ao que o Zé dos Plásticos acrescentava: Ó pá, tu tens de te convencer... aqui o teu velho amigo é íntimo, por exemplo, do Sócrates. Perdão, "íntimo" pode gerar más interpretações, há quem lhe dê roda de larilas... queria dizer existe ali das maiores afinidades, tás a ver?

Lá tás tu... responde sarcasticamente o emigrante.

Ai o Caraças! Mas tu pões assim em dúvida a minha palavra? Pois olha, mais: Aníbal Cavaco Silva, Presidente de Portugal, quanto vale a aposta?

Eh, Eh! 500,00 €, e esfregava as mãos o emigrante.

 

No dia seguinte rumam os dois ao Aeródromo Militar de Figo Maduro, pois sabia-se, ali se encontrava Cavaco Silva no cumprimento protocolar da recepção ao Papa Bento XVI, faltavam poucos minutos para o avião que transportava Sua Eminência aterrar. O emigrante começa a ficar admirado de os guardas e batedores abrirem caminho de imediato para o Mercedes do Zé dos Plásticos avançar. Alguns elementos do forte dispositivo militar até lhe faziam continência, mas daí a ser recebido pelo Presidente de Portugal e naquelas circunstâncias... Já apeados, o emigrante pode verificar Zé dos Plásticos a dirigir-se, passo altivo e confiante, ao palanque onde Cavaco Silva cumprimentava as entidades oficiais da Igreja e do Estado, e qual não é o seu espanto ao verificar a surpresa de Cavaco em ver alí o Zé dos Plásticos, esquecendo-se de tudo o resto, inclusive da mão do Primeiro Ministro esticada no ar, para descer o palanque e saudar calorosamente o famoso empresário dos Plásticos.

Bom, o emigrante rendeu-se, e acabaram os dois amigos de infância a almoçar num chique restaurante da capital, pagava o Zé, que as apostas já haviam rendido 525,00€. Entre um palitar dos dentes do Zé dos Plásticos e um trago do bagaço final, concluia o emigrante: Bem, resta-me então ir ao que me cá trouxe, e assistir a passagem do Papa.

Zé dos Pláticos nem perde tempo: Pá, se és assim tão devoto ao homem, é só dizeres, se quiseres apresento-to.

O emigrante nem cabia em sí de tamanha indignação: O Zé, não me fodas! Que andes aí em tachos com o Presidente da Câmara, com o Sócrates e até o Presidente da República, pronto, tá visto. Agora o Papá?! Mas por quem me tomas? Sempre foste um aldrabão, desde puto.

Zé dos plásticos pousou o palito, esticou a mão ao parceiro e pergunta: 1.000,00€?

O emigrante nem hesita, até porque era a oportunidade de recuperar a forte quantia perdida... Aperta-lhe a mão: 1.000,00€, está apostado!

 

Ao final da Tarde, depois de um dia muito intenso de actividades, visitas e oratórias por Lisboa, Sua Santidade Bento XVI aparece à varanda da residência oficial para sua estadia. Ao lado dele... o Zé dos Plásticos...

A multidão estava eufórica! O papa, de tão cansado já mal se mexia, cabia ao Zé dos Plásticos acenar a multidão que reagia em êxtase.

Ao que se chega um  dos muitos turistas estrangeiros alí presentes junto do emigrante português ainda boquiaberto, e pergunta-lhe:

Mister, what that fuck?!

Quem é aquele senhor vestido de branco, alí ao lado do Zé dos Plásticos?

 

PC Jerónimo da Silva

Os Judeus Novos em Portugal ............................... Nouveau Juifs au Portugal .....................................

11.05.10 | PortoMaravilha

 

 

 

Em Belmonte os descendentes de cristãos novos deixam pouco a pouco a prática clandestina do judaísmo.

Conta António Mendes ( polícia na reforma ) : " O padre que nos casou sabia que era uma façada. Aqui , as pessoas sempre souberam quem era Judeu. E recentemente tornei-me a casar na sinagoga. "

 

A sinagoga foi inaugurada em 1994.

A democracia Portuguesa permitiu o reconhecimento e o estatuto da comunidade Judaica de Belmonte.

Existe também um museu Judaíco em Belmonte que retraça séculos de memória.

Todavia, certas famílias recusam a que os seus sejam enterrados no cemitério Judeu , guardando rituais ancestrais de cinco séculos.

Cinco séculos de opressão que conduziram a um sincretismo . E muitos explicam que os ritos ancestrais dos seus pais são plenamente Judeus.

 

O semanário  " O Jornal do Fundão " tem excelentes artigos sobre este assunto.

Fonte : Texto e foto : Libération , 3 / V / 2010 ( pp. 38-39 )

Nuno

Esta semana cheira a mofo, pá!

10.05.10 | Paulo Jerónimo

 

(Mas boa semana para todos! Mais "F",  menos "F" :-)

 

 

"O Benfica acabou de se sagrar campeão nacional de futebol. O Papa Bento XVI está de pantufas e ceroulas emaladas e pronto para aterrar em Portugal com Fátima como destino principal. O nosso Fado segundo muitos está traçado: Bancarrota! But ...  Who cares? "

Tiago Mesquita, em

Futebol, Fátima e Fado ou Benfica, Bento XVI e Bancarrota .