Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COSMéTICAS.net

o «ESPAÇO» onde nem tudo o que parece é... música para os ouvidos !?

COSMéTICAS.net

o «ESPAÇO» onde nem tudo o que parece é... música para os ouvidos !?

O Isqueiro e o Deliquente : Uma Pérola Legislativa !

08.05.10 | PortoMaravilha

 

[clicar para ampliar]


Durante o fascismo quem usava isqueiro tinha que ter uma licença anual para o poder fazer.

Quem não tivesse a dita licença anual era considerado um deliquente.

Na licença, a palavra empregue, para quem dá chama sem licença, é delinquente.

A multa , além da perda do isqueiro , podia variar entre os 250 e 500 escudos. Para os anos 1970 era uma quantia enorme.

Mas já imaginaram a cena dum cavalheiro a oferecer lume a pedido duma dama ? Mostrar primeiro a licença - não fosse ela alguma pide - ou recorrer aos fósforos ?

 

Fonte : Jornal do Fundão : 25 / IV / 2010

Nuno

Os fantasmas do Heysel ./. Les fantômes du Heisel

07.05.10 | PortoMaravilha

 

 

 

O drama do Heysel em 29 de Maio de 1985 , aquando da final da Taça dos Campões Europeus Liverpool –Juventus é a maior tragédia do futebol Europeu.

Trinta e nove pessoas morreram vítimas de cargas de adeptos .

Thierry Terraube testemunha : “ Caí tentando levantar o meu vizinho , um Italiano com quem fizera conhecimento no estádio e que acabara de ser atingido na cabeça por um projectil . Pisaram-me .”

Para Laurent Mauvignier “ O Heysel arrancou de repente o filtro simbólico : A morte e a guerra não se jogaram numa ficção aceite por todos , mas nas bancadas de maneira brutal.”

E talvez seja preciso não esquecer os 10 000 tifosi que tinham visto os mortos na televisão e que festejaram a vitória nas ruas de Turim.

 

A ler :

Le Heysel, une tragédie européenne , Jean Philippe Leclaire , ed  Calmann-Lévy

Dans la foule , Laurent Mauvignier , ed . Minuit

 

Fonte : So Foot , Hors Série , Hiver 2010

Nuno

 

O drama do Heysel em 29 de Maio de 1985 , aquando da final da

O drama do Heysel em 29 de Maio de 1985 , aquando da final da Taça dos Campões Europeus Liverpool –Juventus é a maior tragédia do futebol Europeu.

 

Trinta e nove pessoas morreram vítimas de cargas de adeptos .

 

Thierry Terraube testemunha : “ Cai tentando levantar o meu vizinho , um Italiano com quem fizera conhecimento no estádio e que acabara de ser atingido na cabeça por um projectil . Pisaram-se .”

 

Para Laurent Mauvignier “ O Heysel arrancou de repente o filtro simbólico : A morte e a guerra não se jogaram numa ficção aceite por todos , mas nas bancadas de maneira brutal .”

 

E talvez seja preciso não esquecer os 10 000 tifosi que tinham visto os mortos na televisão e que festejaram a vitória nas ruas de Turim.

 

A ler :

 

Le Heysel, une tragédie européenne , Jean Philippe Leclaire , ed  Calmann-Lévy

Dans la foule , Laurent Mauvignier , ed . Minuit

 

Fonte : So Foot , Hors Série , Hiver 2010

 

Nuno

 

Le drame du Heysel le 29 mai 1985 lors de la finale de la coupe des champions Liverpool-Juventus est la plus grande tragédie du football européen.

 

Trente neuf personnes sont mortes victimes des charges des supporteurs .

 

Thierry Terraube  témoigne : « Je suis tombé en essayant de relever mon voisin , un Italien avec qui j’avais fait connaissance dans le stade et qui venait de recevoir un projectile sur la tête. On m’a marché dessus. «

 

Pour Laurent Mauvignier , «  Le Heysel a tout à coup enlevé le filtre symbolique : La mort et la guerre ne se sont pas jouées dans une fiction acceptée par tous , mais dans les gradins de manière brutale . »

 

Il ne faut pas oublier non plus les 10 000 tifosi qui ,eux , avaient vu les cadavres eu qui sont descendus dans les rues de Turin fêter la victoire « .

 

A lire :

 

Le Heysel une tragédie européenne , Jean Phillipe Leclaire, ed Calmann-Lévy

Dans la foule , Laurent Mauvignier , ed Minuit

 

Source : So Foot , Hors Série , Hiver 2010

 

Nuno

Núpcias Profanas ...//... Noces Sacrilèges

05.05.10 | PortoMaravilha

 

 

 

Jodorowski regressa com uma Bd digna de uma tragédia de Shakespear.

Noces Sacrilèges " é o primeiro tomo de "Sang Royal " .

 

As personagens vivem perseguidos por pesadelos de sangue e de fogo.

O caos da vingança e do ódio é admiravelmente traduzido em imagens por Dongzi Lou .

Desenhador Chinês , Dongzi Lou obteve vários prémios . Também trabalha para o cinema e o desenho animado.

Fonte/Foto: capa do álbum

Nuno

João Pedro Rodrigues: A câmara e a vida! ............. João Pedro Rodrigues: La caméra et la vie! ...........

04.05.10 | PortoMaravilha

 

.

 

O último filme de João Pedro Rodrigues teve um excelente acolho em França.

Em doze títulos da imprensa Francesa a média da nota é de 3 / 4 .

A histórica revista "Les inrockputibles " atribui -lhe 4 / 4 .

Nas salas Parisienses desde 28 de Abril , o filme mostra que o amor não se pode confundir com a reprodução.

 

Leia-se aqui a entrevista de João Pedro Rodrigues ao diário "Libération ".

 

Nuno


Cannes 2010: Um olhar manifesto de Godard e de Manoel de Oliveira .......................... (aussi en fr)

03.05.10 | PortoMaravilha

 

 

 

A selecção de " Un Certain Regard " do Festival de Cannes de 2010 apresenta uma enorme curiosidade: A apresentação de dois novos filmes realizados por cineastas que marcaram a história do cinema :

 

Jean Luc Godard com " Film Socialisme "

Manoel de Oliveira com  " O estranho caso de Angelica "

Nuno

DO XXI AO 31 (ed.2)

02.05.10 | Paulo Jerónimo

 

Num estudo publicado em 2007 pelo jornal francês 'Libération', foram dados 46% dos jovens consumidores americanos como nunca tendo comprado um CD de música.

O Compact Disc, que vimos entrar-nos pela casa dentro nos finais dos anos 80, viria ele próprio, em menos de 20 anos, a deixar de ser o símbolo duma tecnologia dominante.

Com o popularizar dos computadores pessoais, que também começam a fazer parte da mobilia em cada vez maior numero de famílias, pela mesma altura, estavam criadas as condições  para a decadência no reinado do mercado  em suportes digitais, fossem música ou filmes. A “ignição” estava montada, e o rastilho aceso. Mas a “explosão” dá-se com o propagar da internet, e suas plataformas de trocas ou descarregamento de ficheiros, um “trinta e um valente” que se diz ser, o tiro de afundanço nas vendas de CD e DVD.

Tal não era previsível no início, pois contrariamente à cantiga de 79, se o “Video  (didn't) Killed the Radio Star”, certo é que: o CD, com a sua sonoridade mais “cristalina”, sem grainhas ou arranhões, mata as cassetes áudio e «aparentemente» arruma com os LP´s de vinil.

 

No entanto, as aparências iludem e quando poucos o ousariam, eis um ressuscitar do velho e resistente formato: os  LP's de vinil!

Sem precisarmos de recuar no tempo, e paradoxalmente, nesta era do XXI  já vinha sendo notório,  paulatinamente, que os contemporâneos do vinil nunca abandonariam o velho formato, mas o mais curioso (!) , é observar a descoberta de adeptos cada vez mais jovens cuja idade lhes roubou a oportunidade de saborear os ritos envoltos naqueles mistérios encobertos num álbum de 'papelão'.

O ritual que passa pelo tirar da bolacha preta do invólucro, colocar o disco no prato, fazer pontaria na trilha correcta para não falhar o inicio da musica, olhar para a capa e apreciar o grafismo ou a mensagem envolta, a sonoridade dos graves e agudos mais puros, entre tantas outras coisas únicas neste centenário 'formato', são coisas que o CD disfarçaria mas não colmataria.

PC Jerónimo da Silva

publicado no Jornal 'O Portomosense' de 29/04/2010

fontes do texto: excertos de cosmeticas.org

Pág. 3/3